O AMOR É UM FILHO DA PUTA!


Sabem aquele momento da vossa vida quando, finalmente, todas as coisas parecem estar a encaminhar-se para o sítio certo? Eu estava a viver esse momento em pleno, até há cerca de uma semana atrás. Encontrava-me a sorrir para a vida, a cada dia, deitando-me, noite após noite, com o mesmo tal sorriso nos lábios. O tempo passava e eu seguia com ele. O meu passado estava resolvido, o presente acarinhava-me e o futuro recebia-me de braços abertos.

Agora… Sabem aquele momento da vossa vida quando, subitamente, tudo parece desmoronar à frente dos vossos olhos, sem que vocês pudessem impedi-lo? É esse o momento que estou a viver, há cerca de uma semana. Não parece muito tempo, na verdade. Mas deixem-me que vos diga: que nem o tempo eu sinto. Fugiu-me, por entre os dedos, e o tal sorriso morreu-me dos lábios. O passado, o presente e o futuro confundem-se como um borrão numa tela.

Esta cena do amor é uma cena do caraças, sabiam? Tanto nos embala por meio de cantigas felizes, como se todos os nossos sonhos se tornassem realidade; tanto nos deita abaixo, rumo ao fundo do poço, sem qualquer aviso prévio. E eu nem queria acreditar que as coisas estavam tão bem como estavam. Era tal e qual como nos filmes, juro-vos. Ele abria-me portas, passeava comigo pelas avenidas de braço dado, e falava comigo ao telefone para que a sua voz fosse a última que eu escutasse, antes de dormir.


Até que - lá está - a realidade aconteceu. O sonho foi com o caraças e aqui estou eu, agora. Num quarto vazio, com o barulho do meu coração a desfazer-se, ecoando por entre estas quatro paredes. (Não fosse o amor nos transformar a todos numa cambada de dramáticos…). E que posso eu fazer, neste momento? Neste momento em que tudo se desmorona à minha volta; a porta fechou-se na minha cara, os braços fecharam-se para mim e só escuto silêncio.

Esta cena do amor é mesmo uma cena do caraças. Não faz sentido nenhum. Como, outrora, somos capazes de ser tanto para alguém; para, depois, do nada, não termos sequer direito à porra de uma mensagem dessa mesma pessoa. Do tudo que éramos, viramos um nada, sem que possamos fazer nada. E eu estou fodida, estou, claro que estou. Porque só me apetece aparecer-lhe à porta, gritar-lhe a plenos pulmões o quanto tudo me dói, e chorar nos seus braços.

Mas eu não tenho os braços dele para me segurarem o choro, agora. Duvido, hoje, se alguma vez tive. E é por isso que o amor é fodido e sempre será: porque tanto nos dá, como nos tira. E acaba sempre por arrancar mais de nós do que alguma vez deu. Eu estava tão bem, até ele ter aparecido. E agora, com a sua ida, sinto-me menos eu do que alguma vez fui.


E eu estou cansada de chorar de mim para mim, sabiam? Sei que saio à rua, todos os dias, com um sorriso no rosto. Mas nem sei até que ponto é que isso faz de mim uma pessoa forte, ou uma pessoa fingida. Porque eu estou desfeita, estou um caco. E estou cansada, porque o amor trata-me sempre assim. Ilude-me, faz-me acreditar que “desta vez, é de vez”, mas nunca é. Nunca. Acabo sempre tal qual como estou agora: a devorar cigarro atrás de cigarro, quando só quero beijar uma boca que se recusa a receber-me. A deitar lágrimas pelos olhos, quando só queria estar deitada ao seu lado. E a desistir aos poucos de mim, e dele, e de tudo.

E, agora, digam-me: o que devo fazer? São poucas as opções, na verdade. Ou deixo-me ficar, recolhida no meu canto, a sofrer um luto respeitado pela morte de algo que nem chegou a começar. Ou então vou à luta, sem quaisquer armas, só com as palavras que tenho a dizer a pesarem-me nos bolsos. Em qualquer uma delas, habilito-me a sofrer. A diferença é que, na primeira, sofro naquilo que poderia ter sido; na segunda, sofro por aquilo que nunca poderia ser.

E eu estou cansada que o amor me deixe sempre condenada à opção de sofrer. E eu disse-te tantas vezes, rapaz: que estava cansada de morrer por amor e que só queria, por uma vez, que alguém pudesse morrê-lo comigo. Tu sorriste-me como quem diz “eu estou aqui para ti”. Agarraste-me na mão, levaste-me a conhecer o mundo e deixaste-me a meio caminho.

Mas eu sei onde tu vives, lembras-te? Um dia, quem sabe, atrevo-me a aparecer à tua porta.

1 mixed words:

  1. FILHOS DA PUTA DE AGENCIA FA IMOBILIARIA EN MATOSINHOS! FILHOS DA PUTA DE AGENCIA IMOBILIARIA FÁTIMA VIEIRA & ALICE BORGES MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA EN MATOSINHOS, PORTO. SAO LADRAO, MAFIOSOS, ASSASSINO. ROUBADOS PARA ME HAN 5.000 €! SERVIÇOS DE DADOS MI HAN ZERO. E AO MEU PROTESTO MI HAN HAMEACADO DE MORTE COM ARMA! SAO UM TURISTA ANGLOALEMAO, ESTRAGADO A MORTE!


    OLA'. SOU UN TURISTA ANGLO-ALEMAO, E DESCULPE PARA MINHA PORTUGUÊS POUCO. MAS EU QUERO ESCREVER ESTE TEXTO, COM TODO O MEU FORCAS. EM PORTUGUÊS (MESMO QUE POBRE) E EM INGLÊS. POR QUE 'I FORAM ENGANADOS, DEFRAUDADO, E COMO RESULTADO DE MEUS PROTESTOS, FUI AMECADO DE MORTE E AGREDIDO FISICAMENTE POR ESTES MAFIOSOS, CRIMINOSOS, REPUGNANTES BASTARDOS DE Fátima Vieira Alice Borges-mediação Imobiliária Lda, ALIAS BANDIDO ASSASSINO DI FA IMOBILIARIA DE MATOSINHOS, AV. DOM ALFONSO HENRIQUES 872 4450. MAIS INFORMAÇÕES SOBRE ENORME FRAUDE QUE SOFRERAM ( MI TER ROUBADO 5.000 EURO, ENGANANDO TOTALMENTE EM SERVICOS QUE ELES DEVEM DAR ME), ESTARÁ DISPONÍVEL, NO PORTO TRIBUNAL, POR QUE 'PORTERO' POR UM JUIZ, ESTES BASTARDOS MAFIOSOS, QUE ENQUANTO EU PROTESTEI POR ROUBO FEITO PARA ME DE 5.000 EURO, MI HAN MOSTROU UMA ESPINGARDA DIZENDO : "FECHE ACIMA OU NOS VAMOS MATA LO". EU PRETENDO ESCREVER ESTE TEXTO PARA ANOS E ANOS. MILHARES DE VEZES. O MUNDO DEVE SABER CADA COISA DESTES BASTARDOS ASSASSINO MAFIOSOS LADROES IMPOSTOR EMBUSTEIROS MALANDROS MUITISSIMO CRIMINOSO DE FA IMOBILIARIA DE MATOSINHOS, AVENIDA DOM ALFONSO HENRIQUES 872 4450. O MUNDO DEVE SABER CADA COISA DESTES BASTARDOS ASSASSINO MAFIOSOS LADROES IMPOSTOR EMBUSTEIROS MALANDROS MUITISSIMO CRIMINOSO DE Fátima Vieira Alice Borges-mediação Imobiliária Lda Av. Dom Afonso Henriques 872, 4450 Matosinhos, Portugal! AGORA QUERO COLOCAR TUDO APOSTOS. PRIMEIRO NA INTERNET. ENTÃO NA CORTE!
    NOS PROXIMOS DIAS, TEXT TAMBEM EM INGLES. ESCRITO EM MILHARES DE SITES, AO REDOR DO GLOBO, POR ANOS E ANOS. ROUBADO, ENGANADO, HUMILHADO, OFENDIDO AMEACADO DE MORTE COM UMA ARMA NAO PODE ACONTECER JAMAIS!
    DESCULPE PARA MINHA PORTUGUÊS POUCO, MAS CADA PALAVRA QUE EU ESCREVI, EU TENHO ESCRITO COM O CORAÇÃO E ALMA. SE O MUNDO TORNA-SE PROPRIEDADE DESTES BASTARDOS ASSASSINO MAFIOSOS LADROES IMPOSTOR EMBUSTEIROS MALANDROS MUITISSIMO CRIMINOSO DE FA IMOBILIARIA DE MATOSINHOS OU DESTES BASTARDOS ASSASSINO MAFIOSOS LADROES IMPOSTOR EMBUSTEIROS MALANDROS MUITISSIMO CRIMINOSO DE Fátima Vieira Alice Borges-mediação Imobiliária Lda Av. Dom Afonso Henriques 872, 4450 Matosinhos, O MUNDO MORRE!

    ResponderEliminar

 

partnership

~

LADY WRITER

Eu tenho um sonho. Um sonho que realizo todos os dias: escrever. Agora, também tenho um objectivo: ser escritora. Quiçá, um dia terei o meu nome em capas duras, espalhadas por prateleiras. Até à obra nascer, hei-de sonhar. CONTACTO: imdanierose@gmail.com